A vitamina D é essencial tanto para a pele quanto para o organismo. Ela melhora a saúde óssea, a imunidade, ajuda a prevenir alguns tipos de câncer e protege a pele contra o envelhecimento precoce. Ela age fortalecendo a barreira da derme, ajudando a amenizar rugas e linhas de expressão e combatendo o envelhecimento precoce da pele.

A vitamina D consegue acelerar a renovação da pele porque cerca de 90% dessa substância é produzida na própria pele. Assim, ela consegue promover um efeito de reestruturação da epiderme, melhorando a textura da pele.

A quantidade de vitamina D pode diminuir a partir de uma idade ou até dependendo da época do ano. Essa substância também se destaca por se comportar menos como uma vitamina comum e mais como um hormônio, pois pode ser sintetizada a partir dos raios ultravioleta.

A vitamina D não apresenta somente benefícios internos, mas também oferece vantagens no tratamento de algumas doenças, cujos resultados se fazem visíveis na aparência da pele, como:

    . possui propriedades anti-inflamatórias e regenerativas que são eficazes para tratar feridas e queimaduras;

    . os sintomas de doenças como a Psoríase também são amenizados quando os níveis dela no organismo aumentam;

    . possui propriedades antimicrobianas que ajudam a tratar e prevenir a acne;

    . o equilíbrio na quantidade de vitamina D ajuda a prevenir o Eczema, que é uma doença que causa inflamação da pele quando a mesma não produz óleo o suficiente, ficando seca, avermelhada e podendo apresentar coceira e crostas.

A vitamina D é fundamental para a beleza e saúde dos cabelos, pois influencia a regulação dos níveis de cálcio e fósforo no corpo, promovendo a saúde capilar. Ela age na manutenção das células do couro cabeludo, o que garante cabelos mais viçosos. Já a deficiência dessa vitamina pode intervir no crescimento dos fios, além de deixá-los quebradiços e suscetíveis à queda.

Eficaz em amenizar rugas e linhas de expressão, uma vez que possui propriedades antioxidantes e combate a ação de radicais livres (moléculas que agem no envelhecimento), a vitamina D garante que agentes como fumaça, poluição, cigarro e radiação tenham menor impacto sobre a pele. Sua produção é estimulada diretamente pela exposição solar em horários apropriados.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda que se conheça os níveis de vitamina D e, se necessário, que seja feita reposição com acompanhamento médico. E também incentiva exposição direta ao sol de áreas cobertas como costas, barriga, e pernas, por 5 a 10 minutos, diariamente, a fim de sintetizar a vitamina D. É indicada a exposição ao sol com cuidado, de forma leve e gradual, evitando queimaduras, câncer de pele e minimizando o envelhecimento.

É possível complementar os níveis de vitamina D na dieta. Peixes como salmão, sardinha e atum são ricos em vitamina D, assim como ovos, leite e seus derivados.

Quando devo repor a vitamina D?

Ela só deve ser tomada após constatação de deficiência da vitamina e a orientação médica para o consumo de doses extras. Deve-se levar em consideração a idade, poluição do ar, fototipo, histórico familiar, estilo de vida e comorbidades.

É preciso muito cuidado com o excesso dessa vitamina no organismo. Procure seu dermatologista para avaliar a necessidade de suplementar a vitamina D.