A rosácea é uma doença vascular inflamatória crônica de etiologia desconhecida, porém estudos referem que o surgimento esteja relacionado a colonização da pele pelo Demodex foliculorum e fatores genéticos predisponentes.

Ocorre mais comumente em mulheres brancas de 30-50 anos, e é caracterizada pela presença de telangiectasias, eritema, pápulas e pústulas na região central da face. Alguns pacientes podem apresentar um espessamento da pele nasal, o rinofima, e acometimento ocular. Para diagnosticar a doença, uma biópsia poderá ser realizada, pois não existem exames laboratoriais específicos disponíveis.

O tratamento é feito com uso de antimicrobianos tópicos ou orais a depender do quadro, além de uso de filtro solar e sabonetes apropriados. É importante também o afastamento de fatores desencadeantes, como bebidas alcoólicas, cafeína, alimentos quentes, calor ou frio intenso e, exercícios físicos extenuantes.

O que é rosácea?

Como mencionado anteriormente, a rosácea é uma doença vascular inflamatória crônica, que cursa com a presença e fragilidade de vasos capilares dilatados na face, mais frequente em mulheres brancas, com quadros de remissões e exacerbações. Ocorre geralmente em adultos na faixa etária entre 30 e 50 anos de idade.

Não se trata de uma doença contagiosa. Sua origem ainda não é conhecida, porém é mais comum em brancos europeus, evidenciando uma possível base genética, além de associação com o estresse e a participação do fungo Demodex foliculorum e da bactéria Bacillus oleronius, que fazem parte da flora normal da pele.

A rosácea é uma doença que acomete principalmente a região centrofacial da pele, caracterizando-se por aumento da sensibilidade local, eritema (vermelhidão), surgimento de telangiectasias (vasos finos), papúlas e pústulas (podendo simular uma acne, sendo considerada erroneamente por alguns como “acne rosácea”). O quadro piora no calor, ao ingerir alimentos quentes e condimentados e em momentos de estresse. Pode também acometer o nariz, proporcionando a ele um aspecto de pele em “casca de laranja”, que denominamos de rinofima, e é mais comum nos homens, e pode acometer também os olhos.

A rosácea é classificada em 04 tipos:

  • Subtipo 1: eritemato-telangiectasica;
  • Subtipo 2: papulopustuloso
  • Subtipo 3: fimatoso
  • Subtipo 4: ocular

Não existem exames laboratoriais específicos para diagnosticar a rosácea. Esse tipo de exame, pode ser utilizado para avaliação, caso haja necessidade de uso de medicações por via oral, como antimicrobianos. Em caso de dúvidas em relação ao diagnóstico, uma biópsia poderá ser realizada, porém as alterações histopatológicas da rosácea são inespecíficas.

Tratamentos para rosácea

Atualmente, não há cura para a rosácea, mas há tratamento e controle, dependendo da fase clínica da doença na qual o paciente se encontra. A pele do paciente com rosácea é bastante sensível a produtos químicos, como sabões, ácidos, peelings, loções adstringentes etc. Portanto, devemos ter bastante cuidado com a indicação desses produtos durante o tratamento.

O tratamento inicia-se com uso de filtro solar com proteção UVA e UVB no veículo adequado à pele do paciente, e sabonete próprio para pele sensível. Podem ser utilizados antimicrobianos tópicos como metronidazol e ivermectina, e até antimicrobianos orais, em fases mais avançadas, ou da isotretinoina oral em baixas doses, para controle do quadro.

Existem também procedimentos individualizados que são utilizados para sinais específicos da rosácea. A telangiectasia pode ser tratada com o uso da Luz Intensa Pulsada (LIP) ou outro tipo de laser. Já a Rinofima requer abordagem cirúrgica, se estiver em níveis avançados, podendo ser usado também dermoabrasão ou laser.

Precauções

No caso de acometimento ocular, uma avaliação deve ser feita pelo oftalmologista. É importante também se afastar ou evitar fatores desencadeantes do quadro, como bebidas alcoólicas, cafeína, ingestão de alimentos muito quentes e condimentados, exposição à luz solar e ao frio intenso.

Busque ajuda!

Ao observar os sintomas, é importante buscar um dermatologista e começar o tratamento o mais rápido possível. A Mealth Clinic, clínica dermatológica no Rio de Janeiro clínica dermatológica no Rio de Janeiro, conta com dermatologistas capacitados para atender esses e outros inúmeros casos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.