O melasma é uma hiperpigmentação na pele que acomete mais frequentemente as mulheres, na região da face. Ele não tem uma causa definida, mas acredita-se que, por influência de hormônios, há uma resposta inflamatória exacerbada na pele quando o indivíduo se expõe ao sol, calor e/ou à luz visível.

Associamos muito o melasma à gravidez, contudo, atualmente, pelo uso frequente de pílula anticoncepcional, implantes hormonais e suplementação oral contendo hormônios, observamos muitas mulheres com manchas na pele, sendo uma das queixas mais frequentes no consultório.

Faixa etária mais propícia ao melasma

A faixa etária mais acometida é o público adulto jovem. Essa condição impacta na autoestima, provocando uma queda na qualidade de vida, pois o paciente fica inibido ao se ver sem maquiagem ou produtos que camuflem as manchas.

Como tratar o Melasma

Infelizmente, não existe cura, somente controle. É indispensável o cuidado diário da pele sob supervisão de um dermatologista.

Já temos no mercado diversos clareadores com a função de inibir enzimas fundamentais no processo de produção de pigmento (melanina).

Também pode-se fazer uso de medicações orais, como antioxidantes que diminuem a resposta inflamatória, inibindo, assim, a hiperpigmentação. Há ainda os despigmentantes orais que podem ser usados em curtos intervalos visando o clareamento da pele.

É possível tratar melasma em casa?

No dia a dia, é fundamental o uso do protetor solar, de preferência com alto FPS. E o mesmo deve ser reaplicado ao longo do dia, pelo menos uma vez.

Já os ácidos de uso tópico domiciliar ajudam a afinar a pele, permitindo que os outros ativos penetrem melhor, e também apresentam capacidade despigmentante, se usados a longo prazo.

A importância do acompanhamento médico especialista

Para os pacientes que já se conscientizaram da importância do tratamento diário e incorporaram a ideia de que o protetor solar é fundamental, ou para aqueles que têm pressa, costumamos oferecer tratamentos adicionais, como peelings químicos, microagulhamento e lasers.

É importante salientar que procedimentos que aqueçam muito o rosto, ou que tenham muita resposta inflamatória, percebidas como vermelhidão e ardência, devem ser evitados preventivamente por conta de possível efeito rebote. Costumamos orientar o paciente para que ele fragmente o tratamento, tornando-o mais brando para ter mais segurança.

Nenhum destes tratamentos é curativo! Portanto, ao se expor a estímulos hormonais ou ao calor, sol etc., as manchas irão voltar. E novamente, reiniciaremos o tratamento, visando recuperar a tonalidade de pele alcançada antes da piora.

Como dito no início do texto, homens também podem apresentar melasma. Vale ressaltar, também, que outras partes do corpo podem ser acometidas, a exemplo, braços e colo.

Gravidez e melasma

Mulheres grávidas têm maior tendência a manchar. Gestantes devem saber que, além de prevenção, existem tratamentos que podem ser realizados durante a gestação, como peelings e microagulhamento. Os cuidados com a pele em casa devem ser adaptados para esta fase e cremes à base de vitamina C, ácido kójico entre outros podem ajudar no clareamento.

Tratamento contínuo

Os pacientes devem ter em mente que, por ser uma condição crônica, o tratamento é contínuo. E, seguindo as orientações do dermatologista, há sim, importante melhora com recuperação da coloração da pele e da autoestima!

A Mealth Clinic, clínica dermatológica no Rio de Janeiro, conta com um time de médicos dermatologistas capacitados para te atender e tirar suas dúvidas. Agende uma consulta!