Entende-se como fitoterapia o uso das plantas em suas diferentes formas farmacêuticas (pó, cápsulas, gotas ou chás) com fundo terapêutico. A palavra deriva do grego, onde “phyton” significa vegetal, e “therapeia”, terapia, ou seja, diz respeito ao estudo das plantas medicinais, suas substâncias bioativas e as suas aplicações terapêuticas.

Conhecendo a Fitoterapia

O uso de plantas para tratamento ou prevenção de doenças é popular e milenar. Estudos apontam que na China, em 3.000 a.C., já existiam farmacopéias que compilavam as ervas e as suas indicações terapêuticas.

No Brasil, estima-se que os índios sejam os responsáveis por incorporar o uso das plantas quando passaram a observar que os animais, para combater problemas intestinais, faziam ingestão de raízes e folhas, ou mesmo quando observavam o rigor físico e a agilidade de outros animais que se alimentavam de algumas sementes e cascas de árvores, associando tais matérias ao poder estimulante. Assim, os índios foram adquirindo conhecimentos e aperfeiçoando suas habilidades na cura de doenças, empregando plantas.

Ou seja, a utilização das plantas faz parte da história da humanidade há muitos e muitos anos, tendo grande importância tanto no que se refere aos aspectos medicinais como culturais.

É preciso entender, porém, que os fitoterápicos são remédios e que passam obrigatoriamente por uma rigorosa avaliação de segurança e eficácia e, ao contrário da crença popular, não é isento de riscos. Toda planta, além do princípio ativo terapêutico, pode conter substâncias tóxicas, substâncias alergênicas, contaminação por agrotóxicos ou por metais pesados. Pode, inclusive, interagir com outras medicações, causando danos à saúde. Além disso, cada princípio ativo tem sua dose terapêutica, podendo ser tóxico quando utilizado em excesso.

Por isso, a utilização de qualquer fitoterápico deve ser orientada por um profissional especialista em fitoterapia para adequar a prescrição ao seu tratamento.

A fitoterapia e seu uso na estética

Para auxiliar em procedimentos como drenagem linfática ou massagem modeladora, pode-se utilizar, antes ou após as sessões, chás diuréticos como o Hibisco (Hibiscus L.), a Cavalinha (Equisetum arvense L.) ou a Salsinha (Petroselinum crispum). Os chás diuréticos facilitam a eliminação das toxinas pela urina, combatendo o inchaço e ajudando o organismo a responder melhor ao tratamento.

Plantas com efeito termogênico fazem com que o metabolismo trabalhe mais rápido, aumentando a queima de calorias e, consequentemente, de gordura. Ou seja, auxiliam na diminuição do peso corporal e do percentual de gordura. Alguns exemplos são: chás verde, branco e vermelho (Camellia sinensis), casca de laranja amarga (Citrus aurantium), guaçatonga (Caesaria sylvestris), hibisco (Hibiscus sabdariffa) e salsaparrilha (Smilax spp).

Para auxiliar em tratamentos de acne, pode-se utilizar a Calendula officinalis, já que esta melhora a regeneração e epitelização de lesões, além de apresentar ações antibacterianas, antioxidantes e anti-inflamatórias. Outro fitoterápico que auxilia no tratamento da acne é o Rosmarinus officinalis, popularmente conhecida como alecrim. O alecrim tem efeitos anti-sépticos, antifúngicos e antibacterianos.

Como preparar o seu chá

Para manter 100% dos princípios ativos presentes na planta, é essencial que o chá seja preparado de forma correta:

  1. Coloque as ervas (1 colher de sopa de cada uma, com exceção do chá verde, que deve ser usado em menor quantidade: apenas 1 colher de sobremesa) em um recipiente de vidro ou porcelana. Metais como inox ou alumínio interferem negativamente nas propriedades do chá;
  2. Separadamente, em uma panela, leve 1 litro de água ao fogo e, assim que começar a aparecer pequenas bolhinhas, desligue o fogo (é importante não deixar a água ferver), jogue sobre as ervas (a água deve ser colocada sobre as ervas e não as ervas sobre a água);
  3. Abafe com uma tampa ou um pires por 10 minutos (o chá verde fica mais amargo conforme o tempo que você deixa abafado);
  4. Coe e beba frio ou quente.

Faça apenas a quantidade de chá que você vai consumir no dia. De um dia para o outro, a bebida perde as propriedades fitoquímicas e deixa de promover os efeitos esperados.

É importante lembrar que o uso de fitoterápicos deve ser aliado à alimentação equilibrada e individualizada. É fundamental que a prescrição desses produtos seja feita por um profissional qualificado.

A Mealth Clinic, clínica dermatológica no Rio de Janeiro, conta com um time de dermatologistas capacitados para te atender e tirar suas dúvidas. Agende uma consulta!